Análise: A história da Samsung com o passar das décadas

Comentário

Todos nós temos ou já tivemos um produto da coreana em casa, isso é inevitável. A Samsung é uma empresa relativamente nova no setor eletrônico, mas que por muito trabalho em outras áreas, consegue estar presente em mais categorias de produto do que qualquer outra concorrente. Até mesmo produtos “não-Samsung” possuem toques da companhia, seja por patentes ou tecnologias envolvidas. Por causa de toda essa fama da gigante asiática, o InfoBrothers vai explicar a receita da Samsung para tanto sucesso.

Primeiro logotipo da Samsung – (Imagem/Reprodução: Samsung)

Tudo começou no dia 1º de Março de 1938, com o comerciante Byung Chull Lee, que com apenas 30 mil wons, fundou um pequeno mercado de importações na cidade de Taegu, na Coréia (antes da divisão do país entre as Coréias). Inicialmente o Sr. Chull Lee vendia peixes secos, vegetais, frutas e demais frutos do mar para províncias na China. Cerca de 10 anos depois o senhor Chull Lee já tinha suas próprias manufaturas e lojas, e a empresa que antes não tinha nome era batizada de “Samsung” que em coreano significa “três estrelas”.  A partir desse ponto, Chull Lee observa que o mercado em que atuava não era tão rentável o quanto sua ambição exigia, assim em 1953 a Samsung entra no setor de açúcar, que na época era um mercado fortíssimo na Ásia impulsionado pelo crescimento da China e Japão, a Coréia entretanto ainda se encontrava estagnada e assolada pela guerra, que terminava exatamente naquele ano.

Acima a P3202, a primeira TV Samsung (Imagem/Reprodução: Sg.Hu)

Ainda com muitas feridas expostas o país se encontra demasiadamente sensível, e com cada vez mais pessoas desempregadas ou a procura de emprego, a empresa vê no seu próprio povo uma mão de obra eficaz e consideravelmente rentável. A partir dessa época o conglomerado já se formava, com Byung Chull Lee investindo em qualquer negócio que se mostrasse promissor, em 1958 a Samsung ingressava no mercado de seguros (mercado onde se mantém até hoje) e quatro anos depois em 1963 inaugurava sua primeira loja. Apenas seis anos depois, em 1969, a Samsung Electronics é fundada com o intuito de abrir capital tecnológico na Coréia do Sul (já pós-guerra), ao ver o crescimento da Ásia como polo industrial tecnológico forte, o crescimento de empresas como Sony, Sanyo, Toshiba e Toyota, a direção da marca compreende que o mercado eletrônico é um negócio forte na Ásia, e daí começa a produzir TVs com a nova divisão. Os modelos eram os P-3202, ainda em preto e branco e inicialmente vendidos apenas no país e no Panamá, em 1972 a Samsung abre a exportação desse modelo de TV para o mundo todo, e inicia a produção de máquinas de lavar roupas e geladeiras.

Com o investimento de países como EUA e Inglaterra na Ásia, a fim de derrubar o sistema pró-socialismo chinês, a Coréia do Sul cresce e consigo a indústria semicondutora do país, a produção se wafers de silício para chips de memória se expande em larga escala no país e a Samsung dominava grande parte dele, com isso a empresa consegue inaugurar sua primeira linha de produção de monitores para computador, e por causa disso chega a marca de 1 milhão de televisores preto e branco na Coréia e no Panamá. Em 1977, 5 anos depois de expor a sua primeira TV para o mundo, e logo após a revolução realizada pela Sony no mercado com a primeira TV colorida do mundo, a Samsung apresentava a sua primeira tela em cores também, e usava isso para ingressar no mercado americano, que já era o almejo de qualquer empresa no mundo.

Já em 1982 a empresa começa a dar os primeiros passos para um real crescimento global, abre sua primeira loja fora do país, em Portugal, e também vários escritórios de venda na Alemanha. Na época as empresas costumavam mandar seus melhores executivos para grandes países para que estes iniciassem a venda de produtos, e pra Samsung isso deu muito certo. Logo após esse período o nome do conglomerado já era sinal de boas vendas, com a primeira tela de LCD produzida em massa no mundo, a abertura na produção de painéis de cristal líquido e a produção em larga escala da CPU mais rápida da época, a coreana conseguiu muito dinheiro fechando acordos com gigantes americanas como Dell, AOL, Microsoft e Apple (sim você não leu errado).

Logotipo atual da empresa – (Imagem/Reprodução: Samsung)

Pouco tempo após isso a empresa abre seu primeiro escritório no Brasil focado na venda de HDs e monitores para PC. Em 1993 a empresa parte para uma renovação visual, vindo a ser como realmente a conhecemos hoje, o motivo? O 55º aniversário da empresa e o 5º aniversário da marca como conglomerado global, a nova marca agora tinha seu nome escrito em inglês, em todos os documentos. Além disso o disco elíptico azulado representava o universo, com o nome “SAMSUNG” sobreposto e com arestas cortadas sobre o disco nas letras “S” e “G” para demonstrar a ligação da Samsung com o mundo.  Na virada do milênio a empresa apresentava também um novo slogan “Samsung DIGITall are invited”, algo como “Samsung digital todos estão convidados”, a revolução tecnológica dos anos 2000 só impulsionou mais ainda a marca, que se tornou líder em displays LCD, semicondutores e celulares CDMA (a Nokia era líder na tecnologia GSM, já dominante no restante do globo).

Com o passar dos anos, de 2005 a 2009, a Samsung passou a investir fortemente em tecnologia móvel, isto é: telefones celulares. Na época os smartphones não eram consolidados e a existência de telefones hoje chamados de featurephones, com firmwares próprias e fechadas, era comum. A Samsung conseguiu se dar muito bem no ramo tanto que mantem algumas tradições até hoje, como o nome “Touchwiz” o primeiro modelo de celular lançado com uma interface de usuário totalmente criada para o touchscreen, e que depois deu nome a interface da empresa nos aparelhos Android.

Campanha para o Galaxy S4 – (Imagem/Reprodução: Samsung)

Largando de lado um pouco a história, é notório que grande parte do sucesso da empresa vem de inovação e mais, a exposição que a empresa faz de seus orgulhos. A propaganda é a alma do negócio, e a Samsung sempre soube dominar essa característica muito bem, a ingressão no mercado americano foi derrubando uma a uma empresas como Nokia, Motorola, Sony e Sharp, que antes eram as queridinhas do mercado estadunidense.

Após o Japão feudal um tipo de empresa se tornou comum na Ásia: os “chaebols” (em coreano) e em japonês “zaibatsu”, empresas controladas por famílias. No mercado asiático é muito comum vermos empresas não realizarem acordos, e uma real rivalidade entre as mesmas, até em mercados distantes como aqui no Brasil, a rivalidade entre as empresas se mantem, como é no caso da Honda e Toyota. Pois bem, a briga da Samsung com a LG não vem dos mercados atuais, as empresas tem brigas pessoais entre diretores das marcas e não aceitam negociar juntas, apenas em casos raros, o conflito entre as empresas vem desde a formação desses grandes chaebols, famílias ricas que controlam todo o mercado coreano.

Hoje a empresa celebra vendas e vendas, além de lideranças globais na maioria dos setores em que participa, hoje a Samsung é número 1 na venda de celulares, televisores, semicondutores, monitores para computador, discos rígidos e até mesmo na montagem de barcos petroleiros, com a Samsung Techwin. Atualmente o Sr. Chull Lee não lidera mais a empresa, seu filho Boo Keun Yoon mantem o cargo desde a sua retirada do mercado, porém mesmo com a troca importante de liderança, a Samsung continua dominando o mercado e a sua própria história, hoje, caso fosse um país a empresa seria uma das 30º nações mais ricas do mundo, e não promete parar por aí. Mas e você, gosta da Samsung? Há algum fato que queira adicionar à esta matéria? Se sim, inclua nos comentários!

Fonte(s): Samsung, Mundo das Marcas

Related Posts

Discussão sobre esse post

%d blogueiros gostam disto: